Tiradentes2013: Os Dias com Ele

Os Dias Com Ele, de Maria Clara Escobar

Os Dias Com Ele expande as possibilidades do cinema-confessionário de filhos que querem descobrir os pais. Um filme pequeno, já que concentrado na interação (ou falta dela) entre filha e pai e rodado em apenas um espaço físico – a casa dele. Surpreende como a limitação se faz potência nesse documentário de Maria Clara Escobar. É do precário que surgem os momentos mais bonitos e inteligentes do filme.

Carlos Henrique Escobar é o intelectual, filósofo autodidata, autor de Marx – O Filósofo da Potência e Zaratustra (O corpo e os povos da tragédia), preso político e torturado pela Ditadura Militar em 1973. Mas existe outro Carlos: o pai de Maria Clara.

Primeiro ruído do filme: no jogo de encenação que se estabelece entre direção-câmera-personagem, Carlos parece disposto a interpretar apenas o papel do intelectual. Os papeis de pai e de homem que reconta sua história como torturado pesam como um paletó de chumbo. Em vez de domar esse ruído, Os Dias Com Ele dá vasão.

Ela quer que ele fale da tortura, ele lê o trecho de um livro; ela pergunta das imagens da infância, ele pergunta como poderia ter interferido; ela diz que se trata de um filme sobre os dois, ele recua pois não fará o “papel de papaizinho”.

Continue lendo o texto sobre Os Dias com Ele na Revista Interlúdio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s