Tradução: O Espectador Negro – Questões acerca da Identificação e Resistência

Nesse texto de 1988, o teórico Manthia Diawara analisa como se constrói a figura do “espectador resistente” frente a imagens racistas com as quais supostamente teria de se identificar. Dialogando com a noção de prazer escopofílico tratada por Laura Mulvey, Diawara faz uma ampla leitura de raça começando por O Nascimento de Uma Nação e passando por alguns filmes marcantes da década de 80, em especial os protagonizados por Eddie Murphy.

O blackface em Nina

O cerne da discussão não está se Zoe é ou não boa atriz, se sua atuação é boa ou não. Ou se ela é negra ou não. O ponto nevrálgico: escolher uma atriz com a fenotipia de Zoe para interpretar alguém com a fenotipia de Nina é dizer para as mulheres negras de pele escura que “esqueçam, queridas, vocês não são bonitas o suficiente, nem qualificadas o suficiente

Black to the future: cinema e Afrofuturismo

O que esse conjunto de filmes traz vai muito além da demanda por reparação na participação severamente deficitária de negros em filmes ou por uma gama de papeis que sejam complexos. Ao delirar o presente muitos desses filmes afrofuturistas inventam “amanhãs” tão diversos que carregam características que escapam à retórica terráquea-política do nosso presente. Na confecção de devir(es) não se pensa em incluir mais negros: o que se imagina são outros mundos nos quais o paradigma será a mulher e o homem negro.