Mônica e o Desejo, de Ingmar Bergman

Da série Coisas que Escrevemos pelo Caminho:

Não é bonita, bonita, mas tampouco feia (…) Bastante rodada, pelo que sugere sua roupa estilo saco de batatas.

Jacques Doniol-Valcroze, Cahiers du Cinema, 1954, a respeito de Harriet Andersson em Monica e o Desejo (citado por Antoine de Baecque em Cinefilia).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s